miércoles, 1 de enero de 2014

o primeiro do ano

O silêncio das tardes cálidas
que já não caem
porque depois dos fogos
vem a ressaca... o mar se acalma...
e daqui só ouvimos o canto dos pássaros.
Depois que eu morrer, quero continuar vivendo
porque uma vida só
é muito pouco pro tanto que eu tenho guardado no peito.

o dia de hoje é assim
traz a dor de amor antigo
traz a dor de morte antiga
traz a ausência do amigo
a ausência de prosa

o dia de hoje só traz café fresco
para o estômago oco
os olhos fundos
que choram de vez em quando
ao longo deste dia
que é assim...
até que o ano acabe e comece novamente.
ciclos. ciclos infinitos... isto é viver!

No hay comentarios:

Publicar un comentario