domingo, 11 de mayo de 2014

antes o medo gritava
me dizia do peso da escolha
da possibilidade do erro
da possibilidade de.

com medo mesmo,
fui caminhando
devagar, sem pensar.

entrei nos seus espaços
deixei que entrasse nos meus
simples e complexo.

derramei por mim lágrimas de compaixão
derramei-me por inteiro do que fui
e o medo me dizia que se havia a possibilidade de dar errado,
daria.

hoje me dei conta: não conta.
não ouvia mais os gritos
e ouvi um sussuro.

No hay comentarios:

Publicar un comentario