viernes, 8 de mayo de 2015

é tão difícil viver tudo
que a gente não cabe
nem mesmo dentro da vida
(por isso a morte).
nos lançam no existir
como se fosse bonito
como se fosse dádiva
como se fosse só isso
(e é).

de repente a gente vê que se expande,
cresce
encontra com outra gente
também inquieta
também atenta
também deslocada
e é como se a gente coubesse
(o amor).

aí tem hora
que a gente miudece
fica pequeno feito grão de alguma coisa
e depois de um tempo incubado
nasce florido
cheira perfume
cabe na vida de novo.

seguimos,
não tem outro jeito:
vai ser sempre
essa coisa esquisita.
a gente coloca
pedra
papel
poesia
tesoura
pra ver se dá conta
desse parto
constante
da mesma pessoa.

No hay comentarios:

Publicar un comentario