martes, 5 de enero de 2016

há algo aqui
que não posso entender
há algo aqui
que não posso
algo
que
não.

há algo em mim

que não disse o motivo
a que veio
algo
que não me quis
mas não pode fugir
(uma vez que não posso fugir de mim)

sendo assim
construo castelos
de palavras
só para derrubar depois

há uma coisa que não consigo
entender
que não acalma
nunca passa
e ultrapasssa
o número de caracteres
permitidos

uma palavra sem caráter
e eu também.

se apossa
de mim
algo
que não sei.

no fim das contas
resta
um.

No hay comentarios:

Publicar un comentario